Imprensa

;
29-Nov-2018 14:01 - Atualizado em 29/11/2018 14:15
Vídeo

Monitor x TV: entenda as diferenças que são determinantes em cada produto

Atualmente as duas opções são bem práticas, você pode tranquilamente plugar o seu monitor em um decodificador de TV por assinatura ou utilizar o seu televisor como fonte de imagem para o seu computador. As conexões DVI e HDMI, capazes de transmitir tanto vídeo como som, tornaram mais fácil essa pluralidade de modos de uso. Monitor x TV, nessa disputa há diferenças bem significativas que podem impactar diretamente a sua experiência de uso.

Monitor x TV: Cada um no seu quadrado

Monitor x TV, neste embate o que vale para determinar a melhor opção é o perfil de usuário e as aplicações em que a tela será utilizada. Basicamente a TV é aquela companheira de todas as horas, utilizado para curtir aquele filme ou série no conforto de uma sala ou quarto, a questão das polegadas, o tamanho do painel, acaba sendo o quesito prioritário, já que dará aquela sensação de “cinema”.

novembro, 2018, editor,
TV

No caso dos monitores, deixando de lado um pouco os modelos “convencionais”, aqueles usuários que destinam uma boa grana em um modelo que chega a custar até mais que uma TV estão mirando tarefas específicas, recursos que podem oferecer uma certa vantagem em determinadas aplicações, como jogos ou edições de imagens e vídeo, em que a fidelidade de imagem é de suma importância.

No caso dos jogos, a indústria de TVs seguiu os passos do que é aplicado em monitores, e embutiu o famoso “Game Mode”, que são ajustes automáticos aplicados para que a experiência de uso fique melhor durante a jogatina.

Vou pegar como exemplo o meu próprio caso. Ao invés de um monitor no meu computador utilizo uma TV, a KU6000 da Samsung, como tela, nessa TV há uma opção chamada Modo Jogo dentro da sessão Modo de Visualização Especial.

novembro, 2018, editor,
Jogo

Modo Jogo e deixe a tela mais “rápida”

Mas afinal de contas o que esse tal Modo Jogo faz? Bem, em primeiro lugar você precisa saber que no caso das TV quando esse modo está ativado a qualidade de reprodução da imagem é comprometida.

Tendo isto em mente, o Modo Jogo atua, principalmente, na questão do input lag, que é o tempo de atraso entre o comando e sua ação na tela.

Apesar disso, preciso destacar que alguns amigos meus que também utilizam a TV como monitor do computador preferem não abrir mão da qualidade da imagem. Optando por deixar o Modo Jogo desligado, eles dizem que não sentem nenhuma diferença em relação ao tal atraso na ação.

Ainda há a questão de que em algumas TVs o tal Modo Jogo se trata apenas de mais um preset de imagem, uma predefinição com ajustes no brilho, contraste, por exemplo, e não implica em uma forma de reduzir o processamento da imagem para diminuir o input lag.

novembro, 2018, editor,
Imput

Input Lag

É importante também frisar que essa questão do input lag tem uma certa “tabela” relacionada aos valores. De acordo com essa tabela de variações de tempo medida em milissegundos, é possível dizer se determinada tela terá ou não uma boa experiência em games.

Basicamente a regra é a seguinte:

  • Abaixo de 20 ms – excelente
  • Entre 21 ms e 40 ms – bom resultado
  • Entre 41 ms e 60 ms – razoável
  • Acima dos 61 ms – não recomendado para jogos

Um excelente site para você consultar quando quiser saber o input lag de determinado modelo de TV ou monitor é o RTings.

Atualmente o melhor modelo de TV em termos de input lag, é a UK6300 da LG. Em Full HD, por exemplo, a TV marca 11.5 ms. Só para efeito comparativo, o modelo que eu utilizo, KU6000, marca nessa resolução 19.8 ms.

Já no caso dos monitores, o melhor modelo, dentre os testados pelo RTings é o BenQ Zowie XL2540.

Só pelo input lag já fica claro que há diferenças práticas entre o uso de TVs e monitores para a mesma finalidade. No meu caso, que estava procurando rodar games em 4K sem ter que comprar outra tela para isso, a KU6000 da Samsung atende muito bem, já que o seu input lag é baixo.

Agora para gamers competitivos, principalmente para aqueles do mundo do eSports, partir para um monitor adequado é a melhor solução.

novembro, 2018, editor,
esports

A TV cumpre bem o seu papel de tela para entretenimento e como fonte primária do computador, ou console, mas um monitor voltado para essa tarefa especifica, no conjunto da obra, se sai melhor.

Taxa de atualização

Além do input lag, precisamos analisar também a taxa de atualização da imagem, que é encontrada em números mais elevados (e reais) no monitor. A grande maioria das TVs de entrada e intermediárias conta com uma taxa de atualização de 60 Hz, utilizando alguns truques de interpolação para aumentar artificialmente essa taxa.

novembro, 2018, editor,
Monitor

Já no caso dos monitores, é possível encontrar modelos com 240 Hz de taxa de atualização, porém mais uma vez é importante salientar que muitas pessoas vão pelos números brutos, apesar de na prática não perceberem a diferença entre um monitor com taxa mais baixa ou mais elevada, se deixando levar pela propaganda.

Se para muitos os 240 Hz passam batido, para os olhos treinados dos gamers fica bem mais fácil de identificar.

O problema é que muitos gamers precisam abrir mão de certos aspectos gráficos no PC para rodar o game, priorizando a fluidez do jogo ao invés do aspecto visual. Nesses casos, jogar em 60 Hz é mais do que suficiente, e isso uma TV consegue entregar.

G-Sync e FreeSync

Algo ainda mais específico, são as tecnologias G-Sync e FreeSync, encontrados em alguns monitores no mercado. Essa tecnologia trata da sincronia adaptativa, sincronizando a taxa de atualização da imagem (os tais 60 Hz, 144 Hz) com a placa de vídeo.

Essa sincronia soluciona diversos problemas que os gamers conhecem bem, como o “rasgos da tela”. Pra quem está pensando em comprar um monitor para jogos, pagar um pouco mais por um modelo com FreeSync ou G-Sync é altamente recomendado.

novembro, 2018, editor,
Exemplo clássico de “rasgo na tela”

Para o uso profissional, em aplicações como edições de imagens e vídeos, monitores específicos também se destacam em relação às TVs. Mas antes de entrarmos nesse mérito vale comentar sobre um aspecto que acaba sendo importante para qualquer tipo de TV ou monitor que você tenha interesse. O painel utilizado.

Os mais difundidos no mercado são três: TN, VA e IPS, cada um com suas características e posicionamento de mercado para determinada tela. Os mais baratos são o TN, eles se saem bem em tempo de resposta, mas ao mesmo tempo não são tão interessantes em fidelidade de cores.

O VA se sai melhor na questão da reprodução, mas os tempos de resposta costumam ser mais elevados. O IPS, seria a melhor opção para quem trabalha com edição de imagens, por exemplo, além da fidelidade de cores a reprodução se mantém uniforme independente do ângulo que está sendo visualizado.

novembro, 2018, editor,
Benq

No caso dos monitores para uso profissional a escolha pelo IPS acaba sendo ainda mais importante do que em outros modos de uso. Além do painel a gama de cobertura das cores, principalmente relacionado ao sRGB, é vital para quem trabalha com produção de conteúdo.

Fotógrafos dizem que é importante que o monitor cubra 99% do perfil de cor sRGB. Lembrando que esse quesito pode ser encontrado em monitores que não necessariamente são para uso de editores, como o ASUS ROG Swift PG279Q, que é destinado ao público gamer.

Determinar se a melhor opção é um monitor ou TV passa muito por uma questão subjetiva em conjunto com aspectos técnicos que pendem a decisão por um lado ou outro.

Uma boa TV pode tranquilamente servir como monitor do seu computador ou console, mas para nichos específicos como gamers competitivos e profissionais de criação de conteúdo investir em um monitor específico para tal função é a melhor escolha.

Showmetech
Deixe seu Recado